HomeFacebookA Chave para o Facebook

A Chave para o Facebook

SMARTBLOG

Ao deparar-se com a grande oferta que é a publicidade paga em Facebook Ads, alguns anunciantes ficam perdidos. Muitos dos erros são cometidos, não pelas escolhas erradas que são feitas, mas pela insistência nessas escolhas ao longo do tempo. Numa agência Facebook Ads, o “esquema” corrente e a prática comum consistem em definir corretamente os objetivos, segmentar bem e criar conteúdo relevante para o público escolhido para depois poder “ajustar”, “adaptar” e “afinar” aquilo que for necessário. Ora, isto pode parecer simples, mas qual é a chave que faz brilhar e destacar os anúncios? Quais são os ajustes que podem dar-lhes uma qualidade semelhante aos de uma agência Facebook Ads? Antes de querer vencer a maratona, vamos lá começar por dar as primeiras corridas.

Em primeiro lugar numa agência Facebook Ads há pontos que não são ajustados, são definidos como ponto de partida e mantidos até ao fim, independentemente dos resultados. Ora estes são, evidentemente, os objetivos. Quando criamos uma campanha definimos os seus objetivos e, por mais que a mesma altere o seu rumo, os objetivos nunca mudam. Podemos criar uma campanha com objetivos diferentes e podemos ser menos bem-sucedidos nessa campanha, mas os objetivos não vão mudar. Assim, compreensivelmente, tudo o que está relacionado com objetivos não é ajustável.

Mas aquilo que se pretende é brilhar e correr a maratona com os grandes, vencê-la até, e estar lado a lado com uma agência Facebook Ads quer sejamos peritos ou não. Assim sendo, o foco deve ser nos ajustes, o que deve ser ajustado e adaptado numa campanha e com que fundamento se fazem esses ajustes.

De forma muito resumida, a criação de uma campanha Facebook Ads tem três fases: a definição de objetivos, a segmentação e a parte criativa de anúncios, o copy e as imagens ou vídeos. Já foi dito anteriormente que nos objetivos não há ajustes a fazer porque, naturalmente, os ajustes vão ser feitos à segmentação e à parte criativa dos anúncios. Resta-nos saber em que se baseia uma agência Facebook Ads para fazer essas alterações.

Ao colocar uma campanha “live”, a mesma é servida a vários consumidores e vai gerar resultados. No Facebook pode gerar likes, comentários, partilhas, visualizações, mas não só, também é possível saber quem fez esses likes e partilhas e de onde foram feitos.

Ora, numa campanha, ao receber resultados vindos de uma localidade que não é relevante para a empresa ou marca que está a anunciar, nota-se imediatamente que há um problema de segmentação. É um ajuste que deve ser feito. Uma boa segmentação pode significar uma campanha equivalente à de uma agência Facebook Ads e a boa notícia é que não é obrigatório acertar à primeira para ter sucesso.

Outros resultados podemos receber que não são compreensíveis à primeira, mas que, trocando o “criativo”, entendemos rapidamente se será do texto e da forma como foi escrito, ou de alguma palavra que foi menos aceite, ou da imagem que pode não ter o impacto desejado, ou do vídeo que pode ser maçador. Ir variando os conteúdos escritos e visuais é uma boa prática de agência Facebook Ads para não “cansar” o consumidor.

Concluindo, a chave para ser bem-sucedido em publicidade paga e fazer um trabalho bem feito é saber analisar os resultados e fazer os ajustes necessários a anúncio, de forma a ir criando melhorias que o podem levar até à medalha de ouro.

Partilhar:
    Publicado em: Facebook  

Comentários(0)

Deixe um Comentário

Siga-nos